Mostrando postagens com marcador fala sobre. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador fala sobre. Mostrar todas as postagens

domingo, 23 de julho de 2017

Vaticano fala Sobre a Existência dos Extraterrestres e não afeta a Crença em DEUS

Vaticano admite que pode haver vida fora da Terra

Diretor de observatório da Santa Sé diz que não se pode limitar ação criadora de Deus.

O diretor do observatório astronômico do Vaticano, padre José Gabriel Funes, afirmou que Deus pode ter criado seres inteligentes em outros planetas do mesmo jeito como criou o universo e os homens.

"Como existem diversas criaturas na Terra, poderiam existir também outros seres inteligentes, criados por Deus", disse o diretor do observatório conhecido como Specola Vaticana.

"Isso não contradiz nossa fé porque não podemos colocar limites à liberdade criadora de Deus", acrescentou Funes, em entrevista ao jornal L'Osservatore Romano, órgão oficial de imprensa da Santa Sé.

Na entrevista ao jornal do papa, o padre Funes, jesuíta argentino de 45 anos de idade, cita São Francisco ao dizer que possíveis habitantes de outros planetas devem ser considerados como nossos irmãos.

"Para citar São Francisco, se consideramos as criaturas terrestres como 'irmão' e 'irmã', por que não poderemos falar também de um 'irmão extraterrestre'?", pergunta o padre. "Ele também faria parte da criação."


Perspectiva
Na opinião do astrônomo do Vaticano, podem haver seres semelhantes a nós ou até mais evoluídos em outros planetas, ainda que não haja provas da existência deles.

"É possível que existam. O universo é formado por 100 bilhões de galáxias, cada uma composta de 100 bilhões de estrelas, muitas delas ou quase todas poderiam ter planetas", afirmou Funes.

"Como podemos excluir que a vida tenha se desenvolvido também em outro lugar?", acrescentou. "Há um ramo da astronomia, a astrobiologia, que estuda justamente este aspecto e fez muitos progressos nos últimos anos."

Segundo o cientista, estudar o universo não afasta, mas aproxima de Deus porque abre o coração e a mente e ajuda a colocar a vida das pessoas na "perspectiva certa".

Padre Funes diz ainda que teorias como a do Big Bang e a do evolucionismo de Darwin, que explicam o nascimento do universo e da vida na Terra sem fazer relação com a existência de Deus, não se chocam com a visão da Igreja.

"Como astrônomo, eu continuo a acreditar que Deus seja o criador do universo e que nós não somos o produto do acaso, mas filhos de um pai bom", afirma.

"Observando as estrelas, emerge claramente um processo evolutivo, e este é um dado cientifico, mas não vejo nisso uma contradição com a fé em Deus."

Ateísmo
Na visão do religioso, estudar astronomia não leva necessariamente ao ateísmo.

"É uma lenda achar que a astronomia favoreça uma visão atéia do mundo", disse o padre. "Nosso trabalho demonstra que é possível fazer ciência seriamente e acreditar em Deus. A Igreja deixou sua marca na história da astronomia."

Diretor da Specola Vaticana desde 2006, padre Funes lembrou na entrevista que astrônomos do Vaticano fizeram importantes descobertas como o "raio verde", o rebaixamento de Plutão e trabalhos em parceria com a Nasa, por meio do centro astronômico do Vaticano em Tucson, nos Estados Unidos.

A sede do observatório do Vaticano se localiza em Castelgandolfo, cidade próxima de Roma, onde fica situado o palácio de verão do papa, desde 1935.

O interesse dos pontífices pela astronomia surgiu com o papa Gregório 13, que promoveu a reforma do calendário em 1582, dividindo o ano em 365 dias e 12 meses e introduzindo os anos bissextos.
Fonte
Mais um post by: OVNI DAY

                                                 Veja o Vídeo Abaixo:

                                            Fonte:E Se For VERDADE?

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Michio Kaku fala sobre a suposta megaestrutura extraterrestre descoberta a 1.500 anos luz

O mistério da Estrela de Tabby e a megaestrutura alienígena

O enigma em torno de uma estrela e sua "megaestrutura alien" apenas se aprofundou.

A estrela KIC 8462852, como é mais conhecida, apresenta tantas irregularidades em suas cintilações que um astrônomo especulou que somente uma enorme construção extraterrestre poderia justificar esse comportamento estranho nas variações do seu brilho.

Uma observação mais cuidadosa dessa estrela a 1500 anos-luz da Terra mostrou que ela está escurece rapidamente e fora de qualquer padrão conhecido. O mais intrigante é como isso acontece. Recentemente, uma nova análise, sugere que a estrela escureceu mais rápido ao longo dos últimos quatro anos - tudo isso só serviu para aumentar o enigma.

"Parece que cada vez que alguém olha para a estrela, tudo se torna cada vez mais estranho", disse Benjamin Montet, no Instituto de Tecnologia da Califórnia, líder do estudo.

Civilização extraterrestre 

A KIC 8462852 também é conhecida como Estrela de Tabby por causa do seu descobridor Tabetha Boyajian, da Universidade de Yale. Quando a estrela foi identificada pelo Telescópio Kepler havia uma deterioração da luz de 20%, o que era totalmente fora dos padrões normais de perda de luz causado pela passagem de um exoplaneta, que é de 1%.

Astrônomos buscaram inúmeras explicações para o fato. A estrela foi às manchetes quando Jason Wright, da Universidade Estadual da Pensilvânia, anunciou que uma civilização extraterrestre avançada poderia ser responsável pelo sinal.

Chapas reveladoras

No entanto, o assunto da estrela ganhou mais um capítulo quando Bradley Schaefer, da Universidade Estadual de Louisiana, em Baton Rouge, encontrou antigas chapas fotográficas, de 1890 a 1989. Mais de 1.200 imagens revelaram Tabby havia ficado 15% mais escura ao longo de um século. Com mais essa novidade, ninguém parecia ser capaz de entender o mistério e muito menos debater o resultado das chapas fotográficas. Isso até Montet e seu assessor Josh Simon perceberem que a resposta poderia estar nos dados do Kepler.

A dupla descobriu que a estrela tem três padrões/ciclos de escurecimento. Porém, isso ainda não ajuda a explicar seu comportamento estranho e único. As explicações por enquanto variam desde um enxame de cometas que orbitam a estrela e causam essa variação, até uma nuvem que possa intervir no meio interestelar.

E a megaestrutura alienígena avançada? 

E o conceito de megaestrutura alienígena avançada? "Uma vez que você está chamando alienígenas avançados que usam uma tecnologia que está muito além da nossa, então não há muito que pode ser explicado", disse Simon. "Mas nós realmente queremos esgotar todas as outras possibilidades naturais até concluirmos que seja isso."

Mesmo Wright, o astrônomo que postulou a estrutura extraterrestre, admite que este é um último recurso.
Enquanto isso, os astrônomos continuam estudando a estrela. Uma campanha de crowdfunding arrecadou mais de US$ 100 mil, permitindo que os astrônomos observem a estrela por um ano no Las Cumbres Observatory Global Telescope Network.(Fonte)

Até mesmo o físico teórico Michio Kaku acredita que a megaestrutura em potencial ao redor da misteriosa estrela poderia ser “a maior história dos últimos quinhentos anos!”

De acordo com o Dr. Kaku, “esta estrela está quebrando todas as regras” e “teremos que reescrever os livros de astronomia” para pensar algo diferente.

“Basicamente, se um planeta ocultar uma Estrela Mãe – vai na frente da Estrela Mãe – a luz estelar diminui talvez um por cento, no máximo – porém a luz estelar tem diminuído vinte e dois por cento”, explicou o Dr. Kaku numa entrevista.

“Há um objeto colossal, gigantesco, de algum tipo, bloqueando a luz desta estrela. Descartamos todos os suspeitos normais: planeta invasor, cometas, asteroides, e a única coisa que sobrou é uma ‘superestrutura alienígena’ de algum tipo. Estamos falando sobre aquilo que é chamado de Civilização Tipo dois, a qual poderia construir uma esfera gigante (Esfera de Dyson), possivelmente maior do que Júpiter, para absorver a luz solar, a fim de produzir energia, e isso vem exatamente da ficção científica”, adiciono o Dr. Kaku.
Mais um post by: OVNI DAY

                                         Veja o Vídeo Abaixo:


                                                  Fonte:Mystery Planet